Devido à ocorrência da pandemia de Covid19 não foi possível realizar em 2020 a Reunião Anual dos Centros de Pacing que, como habitual estava planeada para o mês de Maio, tendo inclusivamente sido reservado para o efeito o Hotel Cascade em Lagos (Algarve).

A Comissão Organizadora, integrando membros das Direcções do IPRC e APAPE, decidiu, com a concordância do hotel, adiar a reunião para Novembro desse ano. Como essa data coincidia com a da também habitual Reunião de Electrofisiologia foi decidido associar as duas, prolongando-se a duração do evento para um dia e meio (Sábado e Domingo de manhã).

Foi elaborado o programa da reunião e convidados os prelectores e moderadores, mas devido a novo agravamento da situação sanitária em Portugal nos últimos meses do ano, a reunião foi adiada novamente, tendo estado prevista primeiro para Fevereiro e mais tarde para Abril de 2021. No entanto, só em Maio as condições permitiram que fosse possível realizar a reunião, no entanto com todas as precauções determinadas pela pandemia e exigidas pela Direcção Geral de Saúde.

Assim, nos dias 15 e 16 de Maio de 2021 teve lugar na sala de reuniões do Hotel Cascade em Lagos, a “Reunião de Electrofisiologia e de Pacing 2021”, presidida pelos Drs. Leonor Parreira, presidente da APAPE e Daniel Bonhorst, presidente do IPRC, que, coadjuvados por uma Comissão Organizadora integrando elementos das Direcções das duas associações centralizou a coordenação científica e a elaboração do programa
da reunião.

A reunião teve 49 inscrições, tendo estado representados grande parte dos centros nacionais de electrofisiologia e de pacing, com o apoio das seis firmas da Indústria de dispositivos médicos e material de electrofisiologia os quais, na sua maioria se fizeram representar por membros dos staffs, tendo alguns colocado banners no átrio do centro de reuniões para apresentação dos seus produtos.

O programa científico foi elaborado de modo a equilibrar temas de electrofisiologia com os de pacing, distribuídos por seis sessões, repartidas pela manhã e tarde de Sábado e pela manhã de Domingo. A manhã do primeiro dia compreendeu uma mesa-redonda sobre ablação de fibrilhação auricular e duas sessões de controvérsia sobre as metodologias utilizadas para orientar a ablação das arritmias por reentrada e para realizar o isolamento das veias pulmonares na ablação da fibrilhação auricular.

A parte da tarde de Sábado foi preenchida por outra mesa-redonda, totalmente dedicada aos dispositivos sem eléctrodos, incluindo este tipo de pacing assim como os desfibrilhadores subcutâneos e por uma conferência relativa à detecção de “episódios de frequência auricular elevada” (AHREs) através de dispositivos implantados e sua indicação para o uso de anticoagulantes.

A manhã de Domingo compreendeu uma terceira mesa-redonda, esta dedicada ao tema da monitorização remota de dispositivos após a pandemia do Covid19, seguindo-se duas conferências, respectivamente sobre pacing hisiano / do ramo esquerdo e a ablação da taquicardia ventricular.

A reunião terminou com uma sessão de homenagem à Unidade de Arritmologia do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, em que o responsável por esta unidade (Dr. Rui Candeias) teve a oportunidade de divulgar publicamente a atividade deste centro nos campos do pacing e da electrofisiologia.

PROGRAMA DA REUNIÃO DE ELECTROFISIOLOGIA