REUNIÃO “ARRITMIAS 2019”

Nos dias 15 e 16 de Março, teve lugar no “Cascais Miragem Hotel” a reunião anual organizada pela APAPE e pelo IPRC, este ano designada por “Arritmias 2019”. De acordo com as novas regras que orientam as relações entre as Associações Médicas e a Indústria, foi a própria organização a proceder aos convites dos profissionais de saúde, em grande parte mediados pelos responsáveis das Unidades Arritmologia, que foram contactados nesse sentido. A organização procedeu ainda à reserva dos alojamentos no hotel para os participantes que vieram de outros pontos do país.

A exemplo do ano anterior foi necessário garantir com antecedência o apoio financeiro das Casas da Indústria, o qual foi baseado na comparticipação do ano anterior acrescentado do previsível aumento dos preços, em parte porque a data da reunião foi alterada para Março, de modo a articulá-la com o Congresso da EHRA que neste ano teve lugar em Lisboa de 17 a 19 desse mês.

Mais uma vez o número de inscrições ultrapassou as 300 (mais concretamente 312 participantes), entre médicos (arritmologistas, internos de cardiologia e cardiologistas gerais), técnicos de cardiopneumologia e enfermeiros dedicados a esta área.

A reunião contou com 92 participantes activos, entre prelectores, moderadores e membros de painéis, que totalizaram 73 médicos, 10 técnicos cardiopneumologistas e 9 enfermeiros. O facto de se ter associado a reunião ao Congresso da EHRA facilitou o convite de prelectores estrangeiros, que atingiram o número record de 15 membros integrados na faculty.

Os grandes temas da reunião foram a “abordagem integrada na fibrilhação auricular”, “arritmias e sistema nervoso autónomo”, o “impacto dos registos na prática clínica”, “avanços e desenvolvimentos futuros no pacing e CDIs”, “ pacing para-hisiano como alternativa da ressincronização”; “prevenção do AVC peri-ablação”, “dispositivos electrónicos implantáveis na insuficiência cardíaca”, “impacto prognóstico da ablação da FA” , “controvérsias na ablação de fibrilhação auricular” e “imagem e mapeamento na ablação das arritmias ventriculares”.

O programa incluiu uma série de sessões conjuntas com outras sociedades científicas nomeadamente com a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC) representada pelo seu presidente, com a EHRA também representado pelo seu presidente (Hein Heidbuchel), abordando essencialmente registos nacionais e europeus, com os Young EPs da EHRA – uma sessão de casos clínicos, com o GE da Insuficiência Cardíaca (dispositivos electrónicos na IC) e GE de Trombose e Plaquetas (AVC peri-ablação).

As duas conferências que integraram o programa foram atribuídas a dois convidados estrangeiros: assim Haran Burri falou das “Pacing para-hisiano em vez de ressincronização cardíaca?”, enquanto Luigi Di Biasi abordou os “Aspectos controversos na ablação da fibrilhação auricular – os doentes mais complexos”.

O primeiro tempo da manhã de 6ª feira foi preenchido por uma das habituais sessões “Temas em foco”, em que se discutiram vários aspectos do tema “Abordagem Integrada da Fibrilhação auricular”, sendo a discussão dinamizada pelos coordenadores com base em perguntas respondidas com recurso a televoter e intervenção de um painel de Cardiologistas Gerais. A sessão, largamente concorrida, suscitou como nos anos anteriores intensa discussão entre os moderadores e os elementos do painel.

O programa incluiu duas sessões de Casos Clínicos, uma dos Young EPs da EHRA e outra subordinada ao título “Diagnóstico e Opções Terapêuticas”, com seis casos clínicos seleccionados, provenientes de diversas Unidades de Arritmologia.

Como habitual, foi organizada uma exposição de posters, utilizando-se a metodologia electrónica, com apresentação em écrans de larga dimensão, tendo sido incluído o número record de 52 comunicações. Pela primeira vez foram seleccionadas pelo Júri as seis melhores comunicações, que foram discutidas com os seus membros durante os intervalos da manhã. Destas, o Júri seleccionou três, sendo o 1º prémio para o melhor poster (prémio Medtronic) atribuído a uma delas e as outras duas classificadas como 2os prémios. No final da reunião o primeiro autor do trabalho vencedor apresentou-o publicamente de forma resumida, numa sessão presidida pelos membros do Júri nomeado.

Na sessão final foram ainda apresentados os registos de electrofisiologia e de pacing referentes a 2018, pelos correspondentes Vice-presidentes da APAPE.

As casas de dispositivos médicos e laboratórios clínicos participaram na reunião a nível da exposição técnica, que incluiu nove stands, tendo três casas optado por hospitality-suites. Foram organizados dois simpósios da indústria (Biotronic e Boston Medical), que tiveram lugar no final das duas manhãs da reunião, na sala 1.


Normas para a submissão de trabalhos para o Arritmias 2019

PROGRAMA ARRITMIAS 2019